segunda-feira, 28 de março de 2011

Retornando .

             Quanto tempo eu não posto aqui, quantas coisas aconteceram nas quais quis comentar, tantas mudanças ocorreram no mundo, nas quais eu quis questionar com vocês. E por falar em mudança, hoje eu vim exatamente falar sobre a mesma.
                O que provoca a mudança? Por que ela se inicia? Pode ser uma mudança que seja provocada pelo mundo, pode ser a idade, dizem que mudamos por que cansamos de sofrer e que as mudanças são sempre pra melhor. Na minha forma de pensar, eu não generalizaria assim, nem sempre a mudança é pra melhor, nem sempre é porque cansamos de sofrer. Muda-se pela necessidade de mudar, pela responsabilidade acarretada no dia-a-dia. Muda-se o foco, o modo  de pensar, muda-se a forma de agir.
Todo mundo sabe, racionalmente, que toda ação possui uma reação. Vocês já pararam pra perguntar por quantas mudanças vocês já passaram? Onde elas se iniciaram? Ou então o que as provocaram? Nascemos tão puros e permanecemos puros por uma longa data, até que  algo provoca mudanças, e uma criança inocente, vira um adolescente e de um adolescente, vira um adulto. Isso é o natural da vida, porém muitas vezes quando nos tornamos adultos, esquecemos a nossa essência infantil, aquela essência do sorriso sincero, o olhar brilhante, e principalmente, esquecemos de amar de verdade tudo que está em nossa volta, de se apaixonar por  tudo que se faz e perceber que cada minuto da sua vida é glorioso demais para não ser aproveitado. Ao nos colocarmos em uma idade de verdadeiro Homem e de uma Mulher, começamos a nos esvaziar disso e nos preencher de tudo que é superficial, é o momento do orgulho agir, orgulho de demonstrar, de amar, é hora de ser jogada fora a humildade, e começar a não se contentar com pouco, a não admitir erros, é chegada a hora de você amar por um dia e “odiar” no próximo minuto. Você se desenvolve e começa a habitar em você a indiferença, a preocupação gira em torno de você, apenas você. No final, quando você sair de uma festa, ou de uma multidão, você vai bater a cabeça no travesseiro e  naquele momento se sentirá incompleto e sozinho. A conclusão desse filme é pessoas maravilhosas afastarem de você, as que te amaram pelo o que você é, não pelo que você possui. O fim dessa história é você possuindo amigos, que estão ao seu lado por interesse.
              Ter essência infantil, não é possuir atitudes inconseqüentes e impensadas. Ter essência infantil é deixar falar mais alto a voz do coração, é abraçar sem medo, é demonstrar o seu amor, é sorrir para as coisas mais simples do mundo. Ter espírito de criança é ser feliz no pouco e no muito, é dar valor ao que se tem, pois outras coisas melhores lhes serão acrescentadas. Porque no final, você novamente vai sair de algum lugar cheio de pessoas, vai colocar a cabeça no travesseiro  e se sentir pleno e realmente, feliz.

Tem coisas que são simples, mas são essenciais para a sua felicidade. 

5 comentários:

Sandro Honorato disse...

Olá e ai como vai?
Estava com saudades dos teus textos.
Alias,esse ficou muito bom*-*
Abraços
.................
RIMAS DO PRETO

Ique disse...

e até parece que as pessoas vão se fragilizar desse jeito... rsrsrsrs


é uma pena que as pessoas mata o melhor que tem em si, e depois ficam observando o mundo e dizendo " a que ponto chegamos" ...

Ítalo Richard disse...

Realmente, nem toda mudança é para melhor, mas de qualquer forma faz parte da vida em movimento. Texto bacana, bom retorno.

abraço,
www.todososouvidos.blogspot.com

Jéssica Lins disse...

Podeeer!! Arrasou amiga! :D

Jéssica Lins disse...

Arrasou amiga! :D