quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Setembro, estações e mudanças.



              Setembro, mês da primavera. Se não fosse pela desordem ambiental, no final de setembro poderíamos admirar a beleza das flores nascendo em arvores e o clima gostoso a nos visitar, mas não creio que poderemos desfrutar dessa estação. Pelo menos na minha cidade, o inverno não chegou nem perto de inverno, ontem mesmo disseram que foi  um dos dias mais quentes do ano. Bom, eu não vim aqui dar lição de consciência ambiental, essa parte eu deixo para as empresas capitalistas que usam esse tema para melhorar sua imagem com a sociedade e com as pessoas que fingem se importar.  Eu usei da bagunça das estações, para falar da bagunça de nós mesmos.
                Mudanças, eu sempre digo que nós seres humanos estamos em constantes mudanças e no mês de agosto tive o prazer ou o desprazer de observar um pouco mais cada uma delas. Não é possível ficar estagnado em uma determinada época da vida, em um determinado pensamento, porque as coisas mudam e, querendo ou não,  somos obrigados a mudar com elas. Me observo a anos atrás, e relembro das minhas certezas, dos meus pensamentos e hoje sou uma pessoa com paradigmas totalmente diferentes. Não interprete isso como falsidade ou fraqueza de caráter, muito pelo contrário, eu fui forte o suficiente para mudar, para abrir minha mente, para reconhecer que algumas regras  do meu próprio “eu” tem que ser consertadas. Mudei pela rotina do dia-a-dia, mudei pelo tempo, mudei sem perceber, mudei por necessidade. 
                  Com o passar do tempo, a vida vai nos moldando  para a próxima estação e você vai mudando com as circunstâncias da vida e as coisas que pareciam importantes, hoje já não faz o mínimo sentido.  Devemos nos permitir mudar, precisamos melhorar, consertar nossos erros e as falhas que cometemos com nós mesmos.  Com as pedras, com os buracos da vida, aprendemos e mudamos espontaneamente ou apenas por necessidade.
                    O ser humano necessita de reconhecimento, reconhecimento pelos seus feitos e ações, e isso provoca mudanças também. Vocês já se observaram? Já perceberam em vocês o tanto que mudaram e o tanto que precisam mudar? Clarice Lispector disse uma vez assim: " Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro". Eu não concordo, claro que todo mundo tem defeitos, mas estamos no mundo para melhorarmos, para olhar pra traz e ficarmos felizes pelas nossas melhorias. Eu prefiro seguir o pensamento de Fernando Pessoa: " Deixe de ser quem era e transforme em quem é".
                  Meu texto não provocará mudança em ninguém, não trará o devido reconhecimento dos pequenos erros, das pequenas falhas que devem ser corrigidas. A mudança só vem quando perdemos algo, quando sentimento falta de algo, a mudança só parte na vida de quem está partindo da sua vida.  E antes de discordar com alguma palavra, relembre dos motivos que te forçaram a mudar, das ocorrências diárias que fizeram você mudar naturalmente. Não mudem por necessidade, ou por algum motivo, mudem porque acham digno e necessário mudar.  E acreditem, que a mudança faz parte da vida, faz parte da evolução.

Renove, inove. 

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Amor

                Essa semana me fizeram a seguinte pergunta “ O que é o amor?”  eu não soube explicar e nem responder. Hoje, eu faço essa pergunta pra vocês, vocês sabem o que é o amor?
                    Pensei  e repensei  sobre essa pergunta, revivi amores, relembrei das poucas e sinceras vezes que eu disse eu te amo, dos meus aprendizados, dos amores correspondidos, dos amores secretos, dos amores fracassados. Amor, essas quatro letras mexeram com a minha semana.  Acabei  concluindo que amor é o inexplicável do sentimento, é a luta desmedida a favor de outro alguém, é timidez. Amor é brilho no olhar,  é coração acelerado, é não saber o que falar. Amor é querer o bem, é torcer pela felicidade do outro sem pensar se inclui ou não você. Amor é humildade, solidariedade, saudade.  Amor é proteção, é entender, é caminhar lado a lado. Ama-se todas as qualidades e continua amando quando descobre cada defeito. Amor é conversar pelo olhar, é abraço quente, é beijo de boa noite, é carinho com as mãos. Amor é não saber explicar o porque, nem o motivo e nem quando começou acontecer.
                  Ai o amor, só se sabe o que é amar quando se ama. Algumas pessoas amam sem saber, outras falam que sentem, sem sentir. Pra mim, amar é mais complexo do que pensam. É mais profundo do que acham. 
Todo mundo ama e dos diversos tipos de amores, pelo menos um foi experimentado.  O amor não  é chegado a aparência, não é ligado as regras. Amor é cego, surdo e mudo. Abre a porta sem avisar e acampa ali dentro do coração sem ter hora pra ir embora.
                   É  por isso que não se deve perder tempo se perguntando o porquê do amor, o porquê de amar alguém, o amor é mistério e não responde a perguntas.  Ele  vem com o presente e pede pra você viver com ele, pois o passado é lembrança e o futuro só existe nos sonhos.

Ama-se justamente pelo o que o amor tem de indecifrável.

domingo, 21 de agosto de 2011

Flores e Destino


        No decorrer da semana, me peguei pensando nas freqüências de certos sentimentos. Me indignei quando observei os diversos tipos  que haviam em uma só pessoa.  Em algumas temporadas, tentamos jogar fora sensações que não queremos ter, amores que não queremos reconhecer, paixões que por mais doloridas que estejam, não conseguem ir embora. É incrível como não conseguimos ordenar a nós mesmos. Julgamos as pessoas, menosprezamos os seus problemas e só reconhecemos a gravidade deles quando caímos no mesmo buraco.
        Muitas vezes começamos a dar valor e a reconhecer o significado de certas pessoas e mesmo assim não somos reconhecidos. É difícil tentar entender a nossa própria mente. No final dos dias de chuva, pensamos em ir embora, para que alguém venha logo atrás da gente pedindo pra ficar. O complicado é não conseguir ir, é não conseguir deixar pra trás.
         Quando a ventania vai embora, quando a primavera começa a florecer, você descobre que as pessoas amam de formas diferentes  e outras, não te amam como você esperava. Talvez seja pelo motivo de  que os sentimentos que temos, são apenas nossos. Nós somos responsáveis, mesmo que indiretamente, por tudo que levamos dentro do peito.
         Com as várias estações que adquirimos com o tempo, descobrimos que precisamos deixar certas coisas irem embora, descobrimos que não se deve correr atrás, porque quem realmente se importa anda do lado e não na frente. Com o decorrer da jornada, aprendemos que não existe orgulho, egoísmo e individualismo dentro do amor. 
Dizer que ama é diferente de saber amar.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Sinceridade


          No Dicionário Aurélio a palavra sincero se encaixa no seguinte significado: 1. Que expressa sem intenção de enganar. 2. Verdadeiro, Autêntico.
          Muitas pessoas enchem a boca para vangloriar sua “legítima” sinceridade,  mas pouquíssimas agem de acordo com suas palavras, é o famoso hipócrita. Ser uma pessoa sincera, é bem mais do que falar o que pensa  na hora que bem entender. Ser sincero é saber a hora de mostrar sua verdade e de como falar, respeitando, é claro, os outros em volta.
         Sinceridade muitas vezes é confundida com grosseria ou egocentrismo, as pessoas usam sempre a verdade para agir no seu próprio favor, logo se cria a verdade torcida ou o orgulho. Ser sincero, é ver além do seu próprio lado, é olhar os dois ângulos da questão e entender que tudo nessa vida existe dois pontos de vista. Ser sincero, é admitir seus sentimentos, sem escondê-los, é  aceitar quando se gosta e respeitar quando não se gosta.  Ser sincero é  ter sua própria opinião, independente de qualquer outra contrária. Ser sincero é conseguir dirigir suas idéias sem manipulações.
         Por isso que sinceridade é tão complexa e quase invisível dentro das virtudes humanas. Por medo, não falamos o que sentimos ou que pensamos, por isso escondemos a nossa verdade. É difícil, mas é mais limpo a pessoa ser o que é, sem usar máscaras para agradar uma pequena sociedade que anda em um padrão unitário.
É enxergar além do que se vê, é   saber admitir que é um ser humano errante e, o mais digno de tudo, que se esforça para corrigir, é  se manter uniforme em qualquer grupo social, é saber mostrar seu ponto de vista sem ferir ninguém, e ter coragem para sustentar tamanha qualidade.

Aja antes de falar e, portanto, fale de acordo com os seus atos.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

A imensidão do lado de dentro

         Hoje a noite, eu fiquei admirando o céu e me peguei pensando na imensidão do universo. Nós, seres humanos, nos limitamos as coisas tão pequenas que não paramos para perceber que a escuridão da noite é baseada na nossa própria vida,  pode estar escuro, mas existem as estrelas, mesmo que poucas, a luz da lua e o branco das nuvens para quebrar o negro. 
       Algumas pessoas, ou a maioria delas, não tem tempo para apreciar a beleza do céu, estão ocupados o bastante para se queixar da própria vida, mas se repararmos a beleza da imensidão reflete tudo que passamos do nosso lado de dentro. 
      Vou tentar ser mais objetiva, Por quantos problemas vocês já passaram? E quantas vezes eles se resolveram, de uma forma ou de outra? Os meus problemas, sempre foram resolvidos, apesar de tudo, eu ainda continuo sorrindo e apreciando a vida. O universo também é assim, por tantas vezes já deixei de sair de casa por causa daquela tempestade fortíssima, e logo quando amanheceu, o céu estava limpo e o sol estava batendo na minha janela, como se estivesse soltando a frase: "Acorda, vem aproveitar o lindo dia que eu preparei pra você." E assim como as montanhas, a vida tem seus altos e baixos, quem nunca passou por aquela crise de autoconhecimento pensando que nada nunca vai dar certo, e passado alguns dias de choro e atitudes rígidas, o telefone toca com uma boa notícia, você reencontra os amigos e começa a se dar bem na escola. 
      A verdade é que temos que conhecer a imensidão que existe do lado de dentro, só assim poderemos apreciar o universo. Só assim, poderemos ver o lado bom das chuvas, do sol forte, da maré alta, pois é reconhecendo nossas farpas e espinhos que saberemos lidar com elas. É entendendo o momento de  silenciar que aprendemos a ouvir o silêncio. 


" Das noites escuras, aos dias claros, a vida sempre vai continuar"

@lariidiniz

quarta-feira, 6 de abril de 2011

As trilhas do destino.

       Por onde anda os teus traços? Em que caminho percorre todos os teus passos? Para que trilha caminha o teu horizonte?
       Como é doce o sabor do destino, as linhas que se cruzam em alguma parte da sua vida, saber que como a chuva caminha para cair ao chão, eu caminho até você.  Não importa as curvas, as estradas escuras, não se faz necessário levar em conta os passageiros que caminharam ao nosso lado, no final de alguma estrada, de algum caminho, é com a sua rua que a minha estrada vai cruzar.
      O tempo é forte, o destino concreto e não há nada que possa trapaceá-lo, no final você não encontra alguém perfeito, mas alguém apaixonante. E o destino se encarrega de entregar alguém que você nunca irá se separar ou alguém que você encontra e depois de uma vida longa sem aquele alguém, a sua estrada e a dela se tornam via de mão única. Não poderia ser coincidência, nem sorte, o amor sempre anda de mãos dadas com  o destino 

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Incansável busca

           Sempre vai existir essa incansável busca por alguém que conheça sua historia e faça parte dela.  Alguém que sabe de todos seus medos, das suas manias, alguém que te conheça a fundo sem você precisar se descrever.  A busca é longa,  você procura em todas as pessoas alguém que se pareça com você, que goste das mesmas coisas que você e por ironia do destino,  a pessoa que vai saber praticamente tudo ao seu respeito e vai se tornar um esconderijo para os seus medos e segredos, será completamente o seu oposto. 
        Deus nos envia anjos, mas ele não envia quem queremos e sim, quem nós precisamos. Um dia você encontra alguém que te acalma, que te mostra o que tem de errado, que te abraça sem ao menos se mover.  É uma busca demorada e difícil, porem não é algo impossível. E no momento que encontrar esse alguem, agarre, segure, cuide, porque o céus acaba de te presentear com um anjo.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Verdade, por que me condenas?

           Quem é que nunca mentiu que atire a primeira pedra.  O fundamento da mentira, sempre é  para aliviar o seu próprio lado, ou para te sobrepor a determinada situação ou assunto. Alguns dizem “Eu menti para o seu bem.” Convenhamos que não existe mentira para ajudar o próximo, ela existe para você se auto-beneficiar.  Você mentir, até que dá um gostinho bom, porém alguém mentir pra você, é decepcionante. E para tamanhas mentiras, hoje é seu grande dia, 1 de Abril onde todo mundo pode usar e abusar da mentira, sem nenhum pecado para julgá-la ou nenhum peso na consciência para interferi-la. Confesso que algumas pessoas deveriam usar esse dia como o dia da verdade, já que mentem todos os dias. E são dessas pessoas que eu quero falar.
            Não existe mentira que não seja descoberta, e o pior é quando você sabe que o outro está mentindo. É como se você olhasse para o “mentiroso” e pensasse: “Babaca, vai enganar outro, eu sei da verdade.” Às vezes você desmente na hora o que o outro está dizendo, outras vezes você analisa até que ponto ela pode chegar . O ruim de a mentira ser contada antes do dia 1 de abril ou depois desse dia, é que quando ela é descoberta, leva a pessoa à desconfiança e não existe relacionamento com base em desconfianças. O mentiroso acaba ficando sozinho.
          Não estou aqui me isentando da mentira, eu fui daquelas crianças que na época de frio disse para a mãe “Mããe eu já tomei banho.”  Ou daquelas adolescentes que gritava no quarto “Já to desligando o computador paaai.” São mentirinhas que todo mundo já contou, se não for igual, foi parecido. Mas quando você conhece ou descobre um mentiroso, é até divertido perceber suas mentiras impossíveis. Tem o mentiroso sonhador “ Meu pai comprou uma BMW bonita demais, eu até pedi ele pra vir me buscar na escola com ela, mas ela foi para o mecânico fazer alguns reparos.” Tem o mentiroso livre “ Minha mãe é super tranqüila deixa eu sair pra qualquer lugar, eu é que gosto de ficar em casa mesmo” Existe o mentiroso luxuoso “ Comprei uma blusinha de 365 reais, depois te mostro.”  E sem falar naquele mentiroso  pegador  “ Sabe aquela menina ai, gata demais né? Pois é já namorei com ela, hoje não quero nem ficar com ela mais.” E quase ia me esquecendo, do mentiroso bebedor “ Eu bebo demais sô e nunca fiquei bêbado ou com ressaca.” Sempre convivi com mentiras parecidas com essas, e por ter uma intimidade com esses casos, sempre descubro a verdade. Você sabe muito bem que a BMW é da empresa do pai  da pessoa.  Conhece tão bem a mãe do contador da mentira, que sabe que se ele colocar o dedo na rua, a mãe o colocará de castigo.  Analisa tão bem a pessoa que a blusa de 365 reais nunca existiu, já que o mentiroso tem freqüência de usar as mesmas roupas pra ir aos lugares.  Por ironia o destino você descobre que a ex-namorada super linda nunca existiu, ou se existiu, só deu um beijinho no seu amigo e partiu pra outra. E na última festa que você saiu com seu amigo bebedor, ela conseguiu beber 2 cervejas e depois  caiu no chão de tão bêbado. 
            A freqüência da mentira, sempre desgasta sua confiança com alguém  e de mentirinha em mentirinha, acaba fazendo algum estrago. Por exemplo, existe a mentira que é casada com a fofoca: “Mariazinha fiquei sabendo que a Joana falou isso e isso de você. Sei não viu, mas ela ta sendo uma falsa com você.” Tem a mentira que namora com a falsidade: “ Olha, eu só quero seu bem e me preocupo com você.”  Essas mentiram machucam e para mim, são imperdoáveis. E tirando a parte irônica e o tom de brincadeira em todos os exemplos, sabemos que muitas mentiras tem como o objetivo magoar, enganar e separar pessoas, na maioria das vezes a mentira sempre tem um gosto de maldade.  E por mais sábio que alguém seja,  a esperteza do maldoso sempre da um passo a frente do coração inocente. No final, você acaba sendo levado pela fofoca ou pela falsidade de alguém e por mais que o tempo demore você descobre a realidade e se magoa duas vezes, a primeira por ter se deixado levar e a segunda por ter confiado em alguém que tinha a intenção de te enganar. 
          Sejamos francos, quem mente sempre sofre de alguma carência ou de alguma reijeição. Então meu conselho é que o mentiroso se acostume com sua beleza do avesso, procure alguns amigos de verdade e arrume um namorado, não precisa ser aquele bonitão, pode ser apenas um que goste de você. Por que assim, a sua carência desaparecerá e você não terá motivos para inventar uma vida de ilusões e conto de fadas. É dia de mentira, mas não vamos empolgar e fazer da vida completamente uma mentira, encaremos a nossa realidade diária.

Que o 1° e abril seja apenas nessas 24h que nos cabe e não nos 365 dias do ano. 

quarta-feira, 30 de março de 2011

Polêmica tem prazo de validade.

“ Extra! Extra! Extra! 20 MIL mortos pelo terremoto no Haiti.” “Confiram todas as cenas de guerra, no Rio de Janeiro.” “Cuidado! Gripe Suína pode matar.” “Onde está Osama Bin Laden?
            Quem é que nunca ouviu sobre esses assuntos? Assim como também estão ouvindo muito falar sobre a tragédia que está acontecendo no Japão. Notícias nos jornais, Plantão na Globo no meio da sessão da tarde, revistas, e todos os meios de comunicação possíveis (por enquanto não estão utilizando o telefone para repassar as mesmas). Mas eu não venho aqui falar sobre as notícias do mundo, nem criticá-las, o objetivo do post é mostrar pra vocês que a mídia busca por polêmicas e polêmicas têm prazo de validade.
            Todos nós, ou pelo menos a maioria  das pessoas, ficam sensibilizados pelas tragédias que ocorrem no mundo. Ficamos aflitos com a gripe aviária, nos prevenimos com a gripe suína e se vier alguma gripe com o nome de algum animal, continuaremos nos prevenindo.  Toda notícia tem seus 15 minutos de fama, e convenhamos que a maioria desses 15 minutos de fama,  nos preocupam, nos chateiam, ou nos provocam algum tipo de raiva, porém esses sentimentos, pelo menos em 70% da humanidade, duram apenas o tempo da sua polêmica (15 minutos). Nós , seres humanos, não nos preocupamos a ponto de ajudar com alguma cesta básica, alguma roupa, algum cobertor. E sejamos francos, nem a mídia se preocupa. Alguém aí sabe o que está acontecendo no Haiti agora? E o Rio de Janeiro, está em paz? A gripe suína ainda mata? E o Bin Laden,  evaporou? A mídia se preocupa tanto com os esses países, ou com as pessoas que sofreram essas tragédias, que só apareceram no local, para fazer contagem de mortos, ou desaparecidos e etc. É mais ou menos assim: " E agora vamos para 15 mil mortos, esperem! Esperem! Foi encontrado mais um em baixo desses entulhos. Voltaremos com mais noticias, aguardem!" 
            Preocupamos tanto com essas pessoas, que assim que a notícia para de ser publicada esquecemos de perguntar como foi o fim da história.  E eu não julgo ninguém por isso, pois a preocupação de verdade só chega quando alguém próximo é vítima de algum tipo de tragédia. Enquanto isso, sensibilizaremos pelo caos que aconteceu no Rio de Janeiro, mas não ajudaremos no combate ao tráfico. Vamos chorar por ver casas, sonhos e pessoas sendo destruídas por terremotos, porém não tiraremos alguma roupa da gaveta, algum cobertor da sua cama ou algum dinheiro do bolso, para doar a essas pessoas. E o motivo principal para não ajudar, é o seguinte:  “A minha ajuda não vai fazer diferença, é pouco” E como diz a minha avó, de grão em grão a galinha enche o papo.
             A notícia  deixa de ser polêmica, por que a mídia sabe que a maioria das pessoas estão interessadas em saber quem está morrendo, quem perdeu famílias, quem ficou doente, o Homem necessita de ter alguma preocupação que o faça mais humanitário. As pessoas precisam de uma noticia global para conversar na hora do jantar com a família ou entrar em debate no serviço, ou servir de exemplo para os demais ( "Olha o que está acontecendo naquele país, você tem que agradecer a Deus por não está acontecendo com você." ). E os meios de comunicação estão dispostos a causar-lhes essa sensação “humana”.
 Seria mais humano, fazer  de sua preocupação um motivo para agir. Por que sem ação não existe resultado

segunda-feira, 28 de março de 2011

Retornando .

             Quanto tempo eu não posto aqui, quantas coisas aconteceram nas quais quis comentar, tantas mudanças ocorreram no mundo, nas quais eu quis questionar com vocês. E por falar em mudança, hoje eu vim exatamente falar sobre a mesma.
                O que provoca a mudança? Por que ela se inicia? Pode ser uma mudança que seja provocada pelo mundo, pode ser a idade, dizem que mudamos por que cansamos de sofrer e que as mudanças são sempre pra melhor. Na minha forma de pensar, eu não generalizaria assim, nem sempre a mudança é pra melhor, nem sempre é porque cansamos de sofrer. Muda-se pela necessidade de mudar, pela responsabilidade acarretada no dia-a-dia. Muda-se o foco, o modo  de pensar, muda-se a forma de agir.
Todo mundo sabe, racionalmente, que toda ação possui uma reação. Vocês já pararam pra perguntar por quantas mudanças vocês já passaram? Onde elas se iniciaram? Ou então o que as provocaram? Nascemos tão puros e permanecemos puros por uma longa data, até que  algo provoca mudanças, e uma criança inocente, vira um adolescente e de um adolescente, vira um adulto. Isso é o natural da vida, porém muitas vezes quando nos tornamos adultos, esquecemos a nossa essência infantil, aquela essência do sorriso sincero, o olhar brilhante, e principalmente, esquecemos de amar de verdade tudo que está em nossa volta, de se apaixonar por  tudo que se faz e perceber que cada minuto da sua vida é glorioso demais para não ser aproveitado. Ao nos colocarmos em uma idade de verdadeiro Homem e de uma Mulher, começamos a nos esvaziar disso e nos preencher de tudo que é superficial, é o momento do orgulho agir, orgulho de demonstrar, de amar, é hora de ser jogada fora a humildade, e começar a não se contentar com pouco, a não admitir erros, é chegada a hora de você amar por um dia e “odiar” no próximo minuto. Você se desenvolve e começa a habitar em você a indiferença, a preocupação gira em torno de você, apenas você. No final, quando você sair de uma festa, ou de uma multidão, você vai bater a cabeça no travesseiro e  naquele momento se sentirá incompleto e sozinho. A conclusão desse filme é pessoas maravilhosas afastarem de você, as que te amaram pelo o que você é, não pelo que você possui. O fim dessa história é você possuindo amigos, que estão ao seu lado por interesse.
              Ter essência infantil, não é possuir atitudes inconseqüentes e impensadas. Ter essência infantil é deixar falar mais alto a voz do coração, é abraçar sem medo, é demonstrar o seu amor, é sorrir para as coisas mais simples do mundo. Ter espírito de criança é ser feliz no pouco e no muito, é dar valor ao que se tem, pois outras coisas melhores lhes serão acrescentadas. Porque no final, você novamente vai sair de algum lugar cheio de pessoas, vai colocar a cabeça no travesseiro  e se sentir pleno e realmente, feliz.

Tem coisas que são simples, mas são essenciais para a sua felicidade.