segunda-feira, 19 de julho de 2010

Loucura. Uma insanidade aceitável.

Que seja loucura e que seja aceitável para os seus conceitos. Que te realize, te faça bem, te intrigue e que te faça deslocar do normal. Eu por não me conformar com a falta de algumas coisas, optei por lutar por todas as realizações das minhas loucuras. Mas espera um pouco... qual é o meu conceito por loucura? Loucura é querer fazer tudo que a sociedade chama de anormal, é gritar quando todos estiverem em silêncio, é ser sincero ao ponto de expor sua opinião, é arriscar sem medo, é saber viver. Um louco não tem medo de amar, já que para alguém normal, o amor traz devidas frustrações e sofrimentos, ser louco é rir daquilo que se tem vontade e que pode não ter nenhuma coerência, é não dar tanta importância para coisas que a sociedade julga importante. É ser você, de cabelo rosa ou castanho, olho verde ou preto, roupas “anormais” ou básicas, é apenas saber que o que faz a diferença é ter o entendimento de que sua loucura pode não ser tão louca assim.
A uns 10 dias atrás me perguntaram: “ Qual a maior loucura que eu já cometi”, foi através dessa pergunta que pensei em tudo de louco que eu já fiz e que hoje considero normal. Pensei também na evolução da sociedade e como as coisas que se consideradas insanas há uma década atrás hoje é algo absolutamente normal, um exemplo é ser mãe solteira. E assim como a sociedade eu vou me evoluindo e a cada tempo percebo que as loucuras que eu cometi ontem, hoje já são tão banais. Eu me alimentei daquela pergunta por um tempo e percebi que tudo considerado moderadamente ou extravagantemente louco pode ser considerado também como sonho (o que foi tratado no post anterior), percebam que todas as loucuras que você ainda não cometeu e que tem vontade de cometer, pode ser julgado apenas como sonho, a única diferença é que o sonho quando realizado é apenas mais um mérito para sua vida, sem tanta importância para os demais, a loucura é o ponto mais extremo, é aquela que você pode realizar e corre o risco de envolver mais de uma pessoa na história, um exemplo pequeno é fugir de casa, ou viajar escondido, roubar um beijo, afeta você e também outras pessoas.
O ápice da loucura é saber que a atitude que pode ser tomada consequentemente vai fazer alguém te chamar de louco, porque a nossa loucura é tão pessoal que só você mesmo consegue entendê-la – só você –. O nosso século está tão avançado que para ser considerado louco nos dias de hoje, não precisa xingar o governo, ou usar minissaia, você tem que ir bem mais além, o problema vem logo adiante quando você começa a pensar: como estão usando essa loucura, será que ela está sendo usada com uma loucura desagradável e atingindo negativamente os outros ou ela está apenas esvaziando a pressão que existe dentro de você mesmo, na qual você mesmo cria?

Por mais que eu penso e tento entender as razões das minhas atitudes, sempre chego ao ponto de não querer entender nada e apenas fazer o que o meu coração pulsa para fazer.

8 comentários:

Verdelone disse...

A loucura de ontem, passa a ser normal hoje. A loucura de amanhã será óbvia, básica, coisa de criança depois de amanhã e assim por diante....
Abçs
CIA DOS BOTECOS - www.ciadosbotecos.blogspot.com

J. Ar-Feinel disse...

Exatamente. Eu não tenho me esforçado e mesmo assim todas as coisas que vejo, que escuto, que leio fazem tanto sentido! Seu texto retrata algo que diz muito respeito à mim e minhas recentes escolhas... talvez por medo e querer sempre o mais seguro escolhi o normal, sem perceber que talvez eu esteja perdendo a oportunidade de realizar um dos meus sonhos; que fatidicamente foram tidos como uma loucura.
Ótima reflexão! =)
www.alittledelving.blogspot.com -

Barbara disse...

" vou ficar com certeza , maluco beleza "

:)

Marcos A. G. Carneiro disse...

Todas nossas condutas estão delimitadas pelos padrões existentes da nossa Moral. O que é certo e errado, feio e bonito, grande ou pequeno, bom ou ruin, e outra contraposições, são nada mais do que mero conceito construído por nosso desenvolvimento lento. Os loucos nada mais são, aqueles que fazem e vivem numa realidade só deles.
..
Muito bom o texto.
Bastante cômoda a indagação.
Até mais.

Humor Afro - MISA disse...

ducaralho o texto! abrassss!

Christine Wengrzynek disse...

Putz, amei o texto, muito bom mesmo. É tão bom cometer loucuras e agir sem se preocupar com o que vão pensar .-.


Estou seguido ;D
http://cgw-sonhoperdido.blogspot.com/

Melhor Free disse...

Muito bom!

http://melhorfree.blogspot.com/

Guilherme Lombardi disse...

muito bem escrito esse texto, parabéns!